Intrademoterapia capilar

A Intradermoterapia consiste na aplicação de medicamentos e/ou vitaminas em áreas de falhas capilares, como é o caso da queda excessiva.  O objetivo é melhorar a disponibilidade de ingredientes necessários para estimular o crescimento dos cabelos, aplicando diretamente no couro cabeludo.

O tratamento estimula o crescimento do cabelo, porém não provoca o nascimento de novos fios. Ele assegura que o couro cabeludo tenha uma quantidade proporcional de aminoácidos que cabelo saudável necessita, e também proporciona o aumento da produção de queratina.

Como funciona a Intradermoterapia Capilar?

A aplicação provoca uma estimulação direta, criando micro depósitos dos ativos utilizados e uma libertação gradual das substâncias promovendo tratamento efetivo para o problema. Há um amento da circulação sanguínea no couro cabeludo, os folículos são estimulados, proporcionando um resultado positivo. No período de 8 a 12 semanas, as pessoas já poderão observar resultados satisfatórios.

Como o paciente se sente durante o procedimento?

Não é um procedimento desconfortável, porém não é indolor. O paciente deve sentir as picadas da agulha no couro cabeludo, que é uma região de moderada sensibilidade.

Indicações

  • Cabelos Danificados.

  • Cabelos Finos.

  • Calvície precoce (alopecia androgenética).

Contra-indicações

  • Alergias a substâncias ativas.

  • Infecções ou inflamações no local da aplicação.

  • Gestantes ou mulheres em período de amamentação.

Resultados esperados

  • Melhora na qualidade, textura e brilho do cabelo.

  • Crescimento do cabelo.

  • Fim da queda dos fios.

  • Controle da perda de cabelo.

  • Cabelos mais resistentes.

Cuidados

  • Tenha uma alimentação adequada.

  • Evite tomar banhos muito quentes.

  • Não prenda o cabelo molhado.

  • Evite penteados tracionam muito a raiz como os rabos de cavalo.

Curiosidade

As principais causas de queda de cabelo incluem: alterações hormonais, uso de antidepressivos, infecções, doenças sistêmicas causadas por vírus ou bactérias, diabetes, doenças degenerativas, pós-parto ou pós-cirúrgico, por exemplo. Outros fatores externos como exposição ao cloro, vento, calor, uso de secadores, chapinha ou penteados que exigem uma tensão maior dos fios, dentre outros.